ABSENCE

Absence, 2017

Ausências, assim como os trabalhos de projetores, usa o questionamento de “o que a fotografia tem a me dizer”. Desta vez procuro abordar a fotografia de maneira mais “pura”, tradicional, ligada ao ato fotográfico e produção de instantâneos.

Este trabalho é um desdobramento de uma pesquisa com um acervo que encontrei em um mercado de pulgas. Começou por uma busca a encontrar imagens dentro de outros instantâneos, mas à medida que a pesquisa foi se desenvolvendo reparei que o importante era a ausência provocada pelo ato do corte.

Comecei, então, a criar imagens tendo este pensamento como base. Isto resultou em dois trabalhos: “Cortes”, uma video projeção tendo o corte com agente maior do trabalho e "Ausências” como algo mais físico.

O foco, assim como os projetores, é criar um "tempo de parada”; ter o tempo como agente construtor das imagens e assim, apresentar os trabalhos com uma narrativa linear, usando o padrão de apresentação de fotos antigo. O primeiro consiste em um slideshow em um projetor de slides e o segundo em impressões em papel emolduradas.